Espetáculo Musical é encenado no futuro Memorial da Luta pela Justiça


03/12/2013

O fim de tarde do último dia 30 de novembro marcou o início da Ocupação Cultural do prédio onde funcionou a Auditoria Militar, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 1249, que dará lugar ao Memorial da Luta pela Justiça. Considerado um dos símbolos da repressão durante a ditadura militar, o local foi palco para apresentação do espetáculo musical “A Cobra Vai Fumar”, montagem do Teatro Popular União e Olho Vivo (TUOV), promovida pela Comissão de Direitos Humanos OAB SP, com apoio do Departamento de Cultura e Eventos.

  

“Foi um marco o TUOV ter se apresentado no antigo prédio da Auditoria Militar. O espetáculo foi um sucesso, tanto que recebeu, ao final, dez minutos de aplausos”, disse Idibal Piveta, advogado e diretor da peça, que destacou também a presença, dentre um público de 350 pessoas, de 40 ex-perseguidos políticos e de 12 advogados que atuaram como defensores de presos políticos.

Estavam presentes na abertura do espetáculo, o Presidente e Vice-Presidente  da Comissão da Verdade da OAB SP,  Mário Sérgio Duarte Garcia  e Belisário dos Santos Júnior ; o Coordenador da Comissão de Direitos Humanos, Martim de Almeida Sampaio e o Diretor Cultural da OAB SP, Umberto Luiz Borges D’Urso. Garcia e Martim ressaltaram a importância daquele momento e entregaram uma placa de homenagem para o advogado Idibal Piveta, pelo trabalho realizado para que a peça fosse apresentada.

Com elenco dirigido por Piveta, o musical retratou a participação da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Grande Guerra e fez um contraponto entre a defesa da liberdade e os regimes nazi-facistas. Na direção deste trabalho, o advogado Idibal Piveta adotou o codinome César Vieira, que usou desde o período da Ditadura.

O prédio, onde funcionou a Auditoria Militar foi cedido, em agosto, para a OAB SP e para o Núcleo de Preservação da Memorial Política e será transformado no Memorial da Luta pela Justiça – Advogados Brasileiros contra a Ditadura. Fechado desde 2010, o prédio foi usado para julgamentos e interrogatórios de presos políticos. Por ali passaram nomes como o ex-Presidente Luis Inácio Lula da Silva, a Presidenta Dilma Rousseff, o Senador Aloysio Nunes Ferreira, frei Tito, entre outros.

Além de marcar o início das atividades culturais neste espaço, a peça “A cobra vai fumar” resultou em benefício para crianças carentes, uma vez que os ingressos para o espetáculo foram entregues mediante a doação de um brinquedo e todo o material arrecadado será distribuído para crianças carentes da região.