Presidente da OAB SP lamenta morte de cinegrafista da Band


10/02/2014

O Presidente da OAB SP, Marcos da Costa, lamentou a morte do repórter cinematográfico Santiago Ilídio Andrade (da Rede Bandeirantes de Televisão), que teve morte cerebral hoje, depois de ter sido atingido na cabeça por um rojão na última quinta-feira (6/2), quando fazia cobertura jornalística das manifestações no Rio de Janeiro.

“A OAB SP defende a liberdade de manifestação popular, mas repudia os atos de violência e vandalismo, que resultaram na perda irreparável da vida de um profissional da imprensa e que depõem contra os nossos valores democráticos. Esperamos que todo o episódio seja exemplarmente apurado e resulte na responsabilização dos autores e leve a mudanças na legislação sobre uso e venda de fogos de artifícios no Brasil”, disse Marcos da Costa.

Para o Presidente da OAB SP, a venda, estocagem e uso de fogos de artificio no País deveria ser mais rigorosa, impedindo que sejam utilizados em prédios residenciais e comerciais e em locais com grande aglomeração de pessoas, sem o devido isolamento: “Precisamos não apenas de legislação proibindo a venda indiscriminada, mas também de fiscalização mais efetiva, evitando a fabricação de artefatos de má qualidade e a comercialização, sem a rígida observância das proibições legais”.

Marcos da Costa reiterou, especialmente aos familiares do cinegrafista e à Rede Bandeirantes de Televisão sua solidariedade neste momento de profundo pesar pela morte do jornalista Santiago Andrade, um dedicado profissional, que teve o reconhecimento pelo seu trabalho em dois prêmios jornalísticos de “Mobilidade Urbana”, que recebeu (2010 e 2012).