Presidente da OAB SP prestigia posse do novo Diretor da USP


28/03/2014

O Presidente da OAB SP, Marcos da Costa, parabenizou José Rogério Cruz Tucci pela cerimônia de posse como Diretor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP), realizada no Salão Nobre da Faculdade, na noite de segunda-feira (24/03). Também foi empossado o Vice-Diretor, Renato de Mello Jorge Silveira.

 

 

“A Faculdade Direito do Largo São Francisco é a gênese de todos os cursos de Direito no Brasil, sendo a mais tradicional academia do país; uma faculdade que tem se colocado à frente do seu tempo, preocupada que tradicionalmente é com a formação humanista de seus bacharéis. A discussão trazida pelo novo Diretor, um grande advogado que concilia a atividade profissional com a vida acadêmica, sem dúvida trará uma grande contribuição para o debate do ensino jurídico, não só em São Paulo, mas no Brasil inteiro”, avaliou Marcos da Costa ao comentar a proposta de revisão da grade curricular da Faculdade de Direito da USP.

 

José Rogério Cruz Tucci, no discurso de posse, revelou que dará início imediato a duas medidas: instituição de uma comissão para levar adiante o projeto do Campus Urbano e o início do processo de revisão da grade curricular do curso. “Valendo-me desta sessão pública [cerimônia de posse] anuncio que baixei, nesta data (24/03), portaria instituindo uma Comissão com o objetivo de viabilizar as reformas exigidas para a criação de um Campus Urbano. Muito mais importante, contudo, é a outra vertente, o aperfeiçoamento da grade curricular em prol da excelência acadêmica”, disse Tucci, lembrando que no dia 13 de março, na primeira reunião da Congregação, o tema começou a ser debatido, diante do trabalho já realizado pela Comissão de Graduação.

 

Nesta última questão, Tucci ainda evidenciou o caráter que almeja dar ao curso, afirmando que “além da missão de formar profissionais para as diferentes carreiras jurídicas, a nossa instituição tem a obrigação de contribuir com a formulação de políticas públicas que ajudem a melhorar a vida da sociedade e este é nosso principal desafio: conciliar as necessidades de demanda com a tradição da mais antiga Faculdade de Direito do país”.

 

Bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo (1978), com mestrado em Direito pela mesma Universidade (1980), José Rogério Cruz Tucci sagrou-se doutor em Direito pela Università di Roma (1982). Em 1987, obteve na FDUSP o título de livre-docente. Iniciou sua carreira como professor da Graduação na Universidade de São Paulo em 1988, chegando a Presidência da Comissão de Pós-Graduação e a chefia do Departamento de Direito Processual. Indicado em lista tríplice pela Congregação e pelos Conselhos Departamentais, foi nomeado pelo Magnífico Reitor para exercer a função de Diretor da FDUSP em fevereiro de 2014.

 

Atualmente é professor Titular da Faculdade de Direito, atuando nas áreas de Direito Processual Civil e História do Direito Processual Civil. Além de diversas obras e pareceres publicados, redigiu o anteprojeto de reforma da Lei de Arbitragem e o anteprojeto de Lei de Mediação Extrajudicial, pelo Senado Federal.

 

O Reitor da USP, Marco Antônio Zago, reiterou o apoio aos principais projetos do novo Diretor da FDUSP, lembrando que “essa Faculdade sempre se orgulhou de formar profissionais com excelência técnica, mas nós temos obrigações adicionais com estes alunos” e, assim, revelando um compromisso: “este projeto [Campus Urbano] certamente integrará a necessária recuperação da biblioteca da FDUSP, que considero quase que a alma desta unidade, e permitirá que as condições de risco deste prédio, assim também a preservação do prédio histórico, sejam equacionadas”.

 

Decano do corpo docente da FDUSP, o jurista Miguel Reale Júnior falou em homenagem ao novo Diretor da Faculdade e lamentou que a cerimônia de posse tenha sido o último ato do qual participou na condição de professor titular, já que se aproxima da aposentadoria compulsória, ao completar 70 anos de idade (18 de abril). “É hora de olhar para a frente! E isto significa uma grande alegria ao ver esta nova geração que fica à frente desta casa. Se o Direito é construído no tempo, e há de se preservar aquilo que foi construído e instituído, há uma flexibilidade, a necessidade da mutação, da transformação, mas com a sabedoria da preservação: esta é a marca desta cerimônia”, elogiou Reale Júnior.