Presidente da OAB SP lamenta morte de Eduardo Campos


13/08/2014

O Presidente da OAB SP, Marcos da Costa, afirmou que recebeu com consternação a notícia da morte do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos (49 anos), em um acidente aéreo, nesta quarta-feira (13/08), em Santos. O avião Cessna partiu do aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro com destino à Base aérea de Santos, com sete pessoas a bordo. Não houve sobreviventes.

“Lamento profundamente a morte do candidato e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, uma liderança jovem, um articulador habilidoso, com uma carreira vitoriosa na política e que ainda teria muito a contribuir com o País. Transmito a todos os familiares o pesar e a solidariedade da Advocacia de São Paulo”, disse Marcos da Costa. 

Eduardo Henrique Accioly Campos começou na política por influência do avô ex-governador Miguel ArraesNascido no  Recife, Campos formou-se em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco, onde foi presidente do Diretório Acadêmico em 1985, em seu primeiro contato com alguma forma de política. Ele era filho de Ana Arraes e do escritor Maximiano Campos, além de neto de Miguel Arraes, que também já foi governador de Pernambuco. Neste caso, foi chefe de gabinete do avô após a eleição de 1986. 

A trajetória política continuou com as eleições para Deputado Estadual e Deputado Federal, deixando o último cargo para ocupar Secretarias do governo pernambucano (Secretário de Governo – 1995 – e da Fazenda – 1996). Em 1998 voltou à Câmara Federal como o Deputado mais votado de Pernambuco, conseguindo a reeleição em 2002. 

Em 2003, tornou-se ministro da Ciência e Tecnologia, cargo que deixou em 2006, para concorrer ao governo do Estado de Pernambuco, sendo eleito para seu primeiro mandato.Eduardo Campos deixa esposa, Renata Campos, e quatro filhos – Maria Eduarda, João Henrique, Pedro Henrique e José Henrique.