Mateucci, uma morte irreparável para a OAB SP


20/04/2015

20150418_Carlos Roberto _Fornes Mateucci_foto_jlconceicao (5).jpg

Uma cerimônia de adeus tomada pela imensa tristeza com a perda precoce, vítima de um acidente automobilístico, do diretor tesoureiro da OAB SP Carlos Roberto Fornes Mateucci, aos 52 anos, preencheu o ambiente do espaço Funeral Home, em São Paulo, onde foi realizado o velório a partir da manhã do domingo (19/04). Às 16 horas, o féretro seguiu para o Cemitério da Consolação, onde a família, amigos e profissionais do meio jurídico se despediram em silêncio do advogado que desenvolveu uma carreira de sucesso e dedicação às causas que mobilizam a atividade advocatícia.

Hospitalizado, sob cuidados médicos em decorrência do mesmo acidente que vitimou Mateucci, bastante abalado com a perda do parceiro na diretoria da Secional paulista da OAB, Marcos da Costa, presidente da entidade, decretou três dias de luto oficial em sua homenagem, assim como expressou sua profunda dor com a perda do amigo.

A vice-presidente da OAB SP, Ivette Senise Ferreira, não poupou palavras: “Trata-se de uma tragédia em qualquer ponto de vista, porque ele era uma peça chave que cuidava das nossas finanças com esmero e competência, além de ser um grande parceiro para todas as atividades da Secional. No aspecto circunstancial, nós estivemos juntos uma hora antes de acontecer essa fatalidade. Participamos de uma festa de aniversário onde todos nós estávamos muito contentes. Portanto, a perda dele foi uma bomba que caiu nas nossas cabeças. O único aspecto positivo é que o nosso presidente, Marcos da Costa, que estava junto com Mateucci, se salvou deste acidente. Acredito muito em fatalidade. Era o destino dele ir nessa hora”.

Ao lado da professora Ivette no velório, Tallulah Kobayashi, conselheira Secional e diretora da Mulher Advogada, emocionada, preferiu falar do lado humano de Mateucci. “Outro dia, fui de carona com ele, porque somos quase vizinhos, e ele me contou que às sextas-feiras costumava distribuir sopa e roupa para os pobres”, pontua para ressaltar que ele nunca havia comentado isso com ninguém. “O que mais me comove ainda é que ele estava num momento especial com escritório novo, acabou de reformar a casa, assumiu como presidente do conselho do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (CESA), tinha muitos planos para seu trabalho aqui conosco e, de repente, tudo isso foi cortado. Esperamos conseguir superar essa perda”.

Caio Augusto Silva dos Santos, secretário geral da OAB SP, ressaltou com enorme pesar a inestimável perda de uma grande liderança da advocacia porque Mateucci era “uma pessoa entusiasmada com a ideia de fazer parte de uma OAB SP sempre presente e próxima ao advogado”. O secretário acrescentou ainda que “o que nos conforta neste momento difícil é saber que ele teve uma vida que nos traz muitas lembranças boas, de conquistas, de proximidade com a advocacia, além de ter sido um grande pai de família, e que deixa seu legado para que todos nós possamos aprender um pouco o que é ser um grande ser humano e uma grande liderança da classe”.

Na mesma visão de que o meio jurídico tem uma expressiva perda, Antônio Ruiz Filho, secretário geral adjunto da OAB SP, enfatizou que “Mateucci foi um dos líderes de classe mais admiráveis com quem eu já trabalhei”. Ele considera que o tempo de recuperação dessa perda será longo para a classe. “Ainda estou sob o impacto da notícia”, ponderou abatido. “Nos aproximamos muito neste tempo de diretoria da OAB SP e compartilhamos diversas ideias, o que fez florescer nossa amizade, onde minha admiração por ele cresceu ao ver a maneira como ele trabalhava e como era capaz de administrar problemas importantes”, lamentou Ruiz Filho.

Outro diretor da OAB SP a prestar homenagens a Mateucci durante o velório e enterro, foi o ex-presidente e atual conselheiro federal e diretor de Relações Institucionais da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, para quem o tesoureiro da OAB SP deixa um legado ímpar: “Mateucci nunca mediu esforços para trabalhar pela nossa classe, uma vez que ocupou posições de comando e destaque nas últimas três gestões e, especialmente, na atual. O legado que ele nos deixa é o de dedicação, lealdade, compromisso e responsabilidade profissional”.

Para Fábio Romeu Canton Filho, presidente da CAASP, “a advocacia perdeu uma pessoa insubstituível, que, como poucas, soube honrar a profissão, a amizade e a família, que fará muita falta no dia a dia”. Já o presidente do Conselho Federal da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, que veio especialmente de Brasília para a despedida do profissional, afirmou que “Mateucci deixa um legado de defesa das sociedades de advogados e da advocacia brasileira, com a sua luta contra o exercício ilegal da profissão e a invasão de escritórios estrangeiros”, destacou. “Rogamos que as suas lições e ideias continuem vivas entre nós e a melhor forma de homenageá-lo é tentar pôr em prática aquilo que ele imaginava que era o ideal para advocacia”, concluiu Furtado Coêlho.

A família de Mateucci, bastante abalada, em especial a mulher e os filhos, permaneceram o tempo todo ao lado do corpo em uma despedida imensamente dolorosa.

A diretoria da OAB SP agradece a todos que puderam estar presentes ao funeral e também aos que enviaram suas manifestações de pesar e solidariedade à família e à OAB SP.