OAB SP participa da 1ª Conferência Religiosa


07/05/2015

Drª Damaris Dias Moura Kuo , Presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OABSP na 1ª Celebração da Liberdade, em evento promovido pela OABSP e entidades em prol da liberdade religiosa, realizado no salão nobre da SBM, no bairro do Cambuci

Em que pese a enorme quantidade de crenças e práticas religiosas no Brasil, não há registros de rivalidades entre os praticantes. Isto, pelo menos, segundo o ranking global apresentado por Brian J.Grim, presidente da Fundação de Liberdade Religiosa e Negócios. Dados da pesquisa conduzida por ele mostram que o Brasil, dentre os 25 países mais populosos, é o que possui menores restrições governamentais e sociais no tocante à liberdade religiosa. Apesar da posição confortável que o país ocupa nesta pesquisa, existe, de acordo com Damaris Dias Moura Kuo, presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB SP, uma discriminação velada aos direitos da liberdade religiosa no país. 

A presidente Damaris representou na 1ª Celebração da Liberdade Religiosa: Brasil uma voz para o mundo (29/04),  o presidente da OAB SP, Marcos da Costa, que está hospitalizado e se recupera de um acidente automobilístico. Ela citou os concursos públicos e o próprio Exame de Ordem como exemplos.  “Os editais destas provas proíbem o uso da veste religiosa, sob o argumento de que constituem itens de chapelaria, e isso é inaceitável. O Hijab, por exemplo, é uma peça de uma veste religiosa que não pode ser assim classificado”, ponderou. Há, para ela, a possibilidade de uma revista reservada que não impeça o candidato de fazer a prova usando o traje religioso. “O Conselho Federal da OAB se manifestou através de nota oficial informando que o edital será alterado para contemplar as especificidades das práticas religiosas”, finalizou Damaris. 

Drª Damaris Dias Moura Kuo , Presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OABSP conversando com Abraham Goldstein Presidente da Associação Beneficiente e Cultural B` Nai B´rith (de barba) e Ruben Sternschein, Rabino da Congregação Israelita Paulista durante Cerimônia da 1ª Celebração da Liberdade, em evento promovido pela OABSP e entidades em prol da liberdade religiosa, realizado no salão nobre da SBM, no bairro do Cambuci.

Foi na Sociedade Beneficente Mesquita (SBM) que se realizou a Celebração, para uma plateia formada por judeus, mulçumanos, cristãos, espíritas, representantes das religiões africanas entre outros. Nasser Fares, presidente da Mesquita Brasil, Élder D. Todd Christofferson, apóstolo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pastor Samuel Silva, da Igreja Batista, e o Sheik Abdelhamid Metawally destacaram que o convívio pacífico entre as religiões deve começar pelo diálogo e o respeito mútuo, inclusive aos que não possuem nenhum tipo de crença. 

Nasser Fares destacou que a realização desse evento possibilitou o encontro de vários representantes religiosos e colocou o Brasil como espelho para outras nações. “Desta forma daremos importante exemplo para o avanço do diálogo pacífico entre as diversas religiões, um modelo a ser exportado para todo o mundo”, destacou. Além do ranking que coloca o Brasil em primeiro lugar entre os 25 países mais populosos do mundo em tolerância religiosa, outro número foi apresentado. O pesquisador Todd Christofferson disse que 76% da população mundial vive em regiões com altos níveis de intolerância religiosa. 

Participaram do evento: Damaris Dias Moura Kuo, presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB SP; Afonso Moreira Jr., presidente do Conselho Deliberativo da Federação Espírita do Estado de São Paulo; Brian Grim, presidente da Fundação de Liberdade Religiosa e Negócios; Carlos Wizard Martins, presidente da rede Mundo Verde; Elder Todd Christofferson, um dos doze apóstolos da liderança mundial de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias; Nasser Fares, presidente da Mesquita Brasil; Rabino Ruben Schlesinger, da Congregação Israelita Paulista; Ricardo Cerqueira Leite, presidente da Associação pela Liberdade Religiosa e Negócios; o Sheik Abdlhamid, líder religioso da Mesquita Brasil; Moroni Torgan, deputado federal e coordenador da Frente Parlamentar para Liberdade Religiosa, e Aluisio Toledo Cesar, Secretário de Justiça.