Colégio de Presidentes corrobora sugestão da OAB SP de arrecadar doações para região de Mariana


03/12/2015

Colégio de Presidentes corrobora sugestão da OAB SP de arrecadar insumos e doações para as famílias afetadas na região de Mariana

A grave situação vivida pelas famílias das áreas afetadas na tragédia de Mariana, em Minas Gerais, foi abordada durante a reunião do Colégio de Presidentes Secionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) realizada em Brasília nesta terça (1/12). Na ocasião, o presidente da OAB paulista, Marcos da Costa, propôs ação que foi corroborada pelos líderes da instituição em outros estados e, dessa forma, ficou instituída a realização de um movimento cujo objetivo será a arrecadação de insumos e doações para as pessoas prejudicadas. “É o momento de nos solidarizarmos fornecendo ajuda de todas as formas possíveis”, disse Costa. “Seja ao prestar apoio jurídico, ao unir forças com outras instituições para levantar dados biológicos, como o que foi feito com o objetivo de tentar medir efeitos da poluição, a movimentos que ajudem essas pessoas a não ficarem desabrigadas e sem mantimentos”.

A OAB está mobilizada em nível nacional. No fim do mês de novembro, o Conselho Federal da instituição criou uma comissão que visitou as barragens da cidade mineira e de outras localidades afetadas pelo desastre ambiental. A tragédia ocorreu após o rompimento de uma barragem de rejeitos de minérios e afetou famílias e o meio ambiente em seis localidades de Mariana, além de Bento Rodrigues. A lama chegou ao Rio Doce e litoral do Espírito Santo. A OAB capixaba, inclusive, criou um comitê de ação que reuniu a instituição, Conselho de Biologia e CREA com o objetivo de emitir parecer técnico sobre os efeitos de poluição.

Já em Minas Gerais, o especialista em direito ambiental, Mário Werneck, representa a Ordem em atos relativos à tragédia. Também durante a reunião do Colégio de Presidentes realizada ontem em Brasília, ficou definido que as comissões envolvidas na análise de causas e consequências do desastre, no âmbito das secionais capixaba e mineira, vão se reunir no dia 7 de dezembro para trocar informações levantadas sobre o tema.