OAB SP participa de lançamento da primeira cátedra do IEA sobre arte e cultura


23/05/2016

OAB SP participa de lançamento da primeira cátedra do IEA sobre arte e cultura
Embaixador Sérgio Rouanet e Evaristo Martins de Azevedo, presidente da Comissão de Direito às Artes da OAB SP / Foto: Leonor Calasans

Evaristo Martins de Azevedo, presidente da Comissão de Direito às Artes da OAB SP, representou o presidente da Secional paulista, Marcos da Costa, na última terça-feira (17/05), durante a conferência inaugural da Cátedra de Arte, Cultura e Ciência do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA-USP), na qual foi empossado o embaixador Sergio Paulo Rouanet como primeiro professor catedrático.

A participação da OAB SP nos estudos do Direito às Artes nos últimos anos foi relacionada por Martins de Azevedo, que frisou que poucas entidades, universidades e faculdades de direito se dedicam ,de fato, ao entendimento das questões ligadas às políticas públicas culturais. “A Cátedra do IEA-USP se debruçará sobre os aspectos, não só legalistas, mas, também, filosóficos e políticos da cultura e contribuirá muito para o desenvolvimento do setor”, explicou o advogado.

A solenidade inaugural da Cátedra ocorreu na Sala Nobre da Congregação da Faculdade de Medicina da USP, onde o embaixador Sérgio Rouanet realizou a conferência “A Modernidade e suas Ambivalências”. A Cátedra é a primeira criada por iniciativa do Instituto Estudos Avançados da USP para discutir e promover atividades voltadas ao universo das artes e da gestão cultural. O objetivo é fomentar reflexões interdisciplinares sobre temas acadêmicos, artístico-culturais e sociais nos âmbitos tanto regional como também no global.

Para o presidente da Comissão de Direito às Artes, a participação da Ordem é necessária e relevante para as causas e estudos relacionados ao ambiente cultural no Brasil. “Principalmente neste momento grave em que, com a surpreendente extinção do Ministério da Cultura e de sua absorção pelo MEC, o desafio será restaurar a confiança para a produção cultural e artística, já atingida severamente pela crise política e econômica pela qual todos nós atravessamos e, por isso mesmo, a OAB SP não pode ficar de fora desse debate", destacou o presidente.