Subseção de Itu comemora 40 anos de criação com festa e posse de diretores


11/05/2016

Posse Itu
Lendo o discurso de posse da diretoria, a partir da esquerda: Jean Clayton Thomaz, tesoureiro; Hélio Antonio Martini Junior, secretário-geral; Maria Cecília Verderi Piva, secretária-geral adjunta; Rui Luiz Lourensetto Junior, vice-presidente; e Liliane Gazzola Faus, presidente da Subseção

A posse solene da diretoria da OAB Itu foi comemorada em grande estilo na noite de sábado (07/05). Além do juramento oficial dos novos diretores, a cerimônia foi marcada pelo tradicional baile em que foram comemorados os 40 anos de instalação da Subseção. Sob a presidência de Liliane Gazzola Faus, os diretores Rui Lourensetto Júnior (vice-presidente), Maria Cecília Verderi Piva (secretária-geral), Hélio Martini Júnior (secretário adjunto) e Jean Clayton Thomaz (tesoureiro) prometerem ampliar as ações para que a advocacia da região possa exercer com tranquilidade seu trabalho. “Itu pode contar com essa diretoria em todo o momento.”, disse Liliane.

De acordo com ela, uma das metas da gestão 2016/2018 é buscar a ampliação da Casa da Advocacia local. “Temos uma boa infraestrutura para atender os quase 1.000 inscritos, mas precisamos ampliar alguns espaços e trazer para cá uma Farmácia da CAASP”, reivindicou, enquanto destacava que a cidade de Cabreúva também é atendida pela Subseção. Liliane se emocionou ao ouvir o discurso da advogada Maria Lúcia Dias Caselli, que, ao ser homenageada, lembrou de Francisco Aluizio Gazzola, pai da presidente empossada, e primeiro tesoureiro da Subseção.

Subseção de Itu comemora 40 anos de criação com festa e posse de diretores
Maria Lúcia Dias Caselli, advogada homenageada da noite

Maria Lúcia participou da assinatura do termo de instalação da OAB Itu, ocorrida em 10 de abril de 1976, sob a presidência de Ermelindo Maffei. “Ratifico, aqui, o orgulho de ter participado de tão nobre causa, que foi a criação da Subseção na minha querida Itu”, afirmou Em sua fala (leia abaixo), ela destacou ainda que a Secional paulista da Ordem, sob a presidência de Cid Vieira de Souza, vivia uma intensa batalha em defesa das prerrogativas profissionais dos advogados, pois o Brasil era governado pela ditadura militar. Sua exposição foi enriquecida também por recordar que o menino Benedicto Galvão partiu de Itu para São Paulo, onde se formou na Faculdade das Arcadas para se tornar o primeiro e único presidente negro da OAB paulista, entre 1940 e 1941.

Posse Itu
A secretária-geral da OAB SP, Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, representou o presidente Marcos da Costa na solenidade

Representando o presidente Marcos da Costa na solenidade, a secretária-geral da OAB SP, Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, agradeceu a oportunidade de participar de uma das mais importantes solenidades da Ordem e ratificou a relevância da OAB Itu para a advocacia e a população que fica na região metropolitana de Sorocaba. “A advocacia de Itu e de Cabreúva está em festa pelos 40 anos de instalação da Subseção e por contar com ilustres nomes da advocacia. Essa diretoria, hoje empossada, pode recorrer, sempre que precisar, à Secional paulista, que será bem atendida”, disse.

Ao lado de Gisele, compareceram os conselheiros Secionais René Liberatore e Cid Vieira de Souza Filho. Estiveram presentes ainda ex-presidentes e diretores da Subseção, além de representantes do Judiciário, do Legislativo e do Executivo Ituano. Durante o evento foram empossados os presidentes das comissões temáticas da OAB Itu.

Emoção no discurso de Maria Lúcia Dias Caselli

Exma. Sra. Dra. Presidente Liliane Gazzola Faus;
Demais Integrantes da Diretoria da 53 ª;
Subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil;
Prezados Colegas e Caríssimos Confrades;

Minha intenção era trazer a esta importante comemoração o modesto pronunciamento que tive a honra de fazer quando da instalação da 53ª subsecção da Ordem, há quarenta anos. Todavia, são inúmeros os guardados neste ocaso de vida e por mais que me esforçasse, não consegui encontrá-lo. Recorro, então à memória que, por já não me acudir facilmente, obriga-me aos registros.

Lembro-me ainda do local: o antigo salão do júri do Fórum de Itu, na atual se da Câmara dos Vereadores. A sessão solene foi presidida pelo saudoso colega de turma Dr. Cid Vieira de Souza, conceituado criminalista e Presidente da Seccional de São Paulo por vários biênios. Em nome dessa Seccional fez uso da palavra o Dr. Raimundo Pascoal Barbosa, então Secretário da Secção São Paulo e também ilustre criminalista, cognominado de “advogado dos Advogados” pela atuação em defesa das prerrogativas dos colegas durante a ditadura militar. Dr. Pascoal, casado com uma ituana, aqui mantinha hospitaleira residência frequentemente visitada pelos conselheiros paulistas. Tomaram posse na ocasião os colegas Dr. Ermelindo Maffei, Presidente; Dra. Cecy Marchesoni Habice Pinna, de Porto Feliz, Vice-presidente;
Dr. Mário Dotta, de Salto, Secretário e o Dr. Francisco Aluizio Gazzola, saudoso colega, progenitor da nossa presidente, Tesoureiro.

Itu Reivindicara esta Subsecção por antiguidade e merecimento. Em breve relato, podemos registrar que a Comarca de Itu foi criada pelo Alvará Régio de 2 de dezembro de 1811, portanto, onze anos antes da proclamação da independência, constituído uma das três comarcas da Capitania, a saber: São Paulo, Paranaguá e Itu, esta cuja base territorial ia de Franca a Curitiba.

Acrescente-se também que, quando da instituição dos cursos jurídicos no Brasil, uma das vozes mais atuantes no parlamento foi a do deputado ituano Francisco de Paula Souza e Melo propugnando pela criação de duas escolas, ao invés de uma localizando-as em São Paulo, a do sul e em Olinda, a do norte, o que resultou na fundação da Faculdade de Direito de São Paulo, no ano de 1927, onde muitos ituanos estudaram.

Tanto assim que, quando da realização da “Convenção de Itu”, no ano de 1987, dos cento e trinta e três convencionais, pelo menos dezenove eram bacharéis por essa Faculdade.

Em pesquisa que realizei por solicitação da extinta Imprensa Oficial do Munícipio de Itu pude registrar a presença de muitos profissionais competentes militando no foro local até os anos trinta, partindo do Dr. Eugênio Fonseca, no final do século XIX ao saudoso Dr. Ermelindo Maffei, este inscrito na Seccional paulista no ano de 1931, logo após a fundação da Ordem que data de 1930. Registro ainda que um moleque chamado Benedito Galvão, filho de escrava, de rara memória e privilegiada inteligência, sabendo de cor vários poemas de Guerra Junqueiro, um dia partiu de Itu para estudar direito de classe, galgar o honroso cargo de Presidente da Ordem do Advogados, o primeiro negro a ser distinguido com tamanha honraria.

Com a fundação da Faculdade de Direito de Itu no ano de 1969 e o aumento dos operadores do direito da Comarca, nada mais justo que aqui também se fundasse a Subsecção ituana, causa pela qual me empenhei ao lado de colegas e de cuja instalação tive a honra de participar, mediante convocação aos advogados locais, por designação do saudoso colega de turma que então presidia a Secção paulista, Dr. Cid Vieira de Souza. Conhecedora de perto dos objetivos dessa convocação, quais sejam, os de “velar pela dignidade, independência e valorização da advocacia e fazendo valer as prerrogativas do advogado”, sabia que meu empenho em prol dessa fundação não seria em vão. Acredito ter ajudado a plantar uma árvore que produziu na Comarca e ao lado do fiel cumprimento das disposições estatutárias, o espírito confraterno que conduz a classe.

Agradecendo sensibilizada a homenagem, retifico aqui meu orgulho em haver participado de tão nobre causa: a da criação da 53ª subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil na minha querida Itu.