Henrique Áreas diz que minirreforma política de 2015 prejudica pequenos partidos e candidatos menores


12/09/2016

Henrique Áreas diz que minirreforma política de 2015 prejudica pequenos partidos e candidatos menores

Com apenas 31 anos de idade, Henrique Áreas quer ser um dos mais jovens prefeitos eleitos para comandar a capital paulista. Candidato pelo Partido da Causa Operário (PCO) é formado em ciências sociais pela Universidade de Campinas (Unicamp) e funcionário dos Correios. Como os demais concorrentes ao cargo, teve 20 minutos para apresentar o programa de governo no lançamento do “Manifesto por eleições limpas”, da Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil, na manhã de segunda-feira (12/09).

Áreas aproveitou seu tempo para colocar em xeque as alterações na legislação eleitoral, promovidas pela minirreforma política de 2015 (Lei nº 13.165). De acordo com ele, a redução no tempo de campanha - de 90 para 45 dias - prejudica os partidos pequenos e os candidatos que não são conhecidos pela população. Outro ponto questionado foi o tempo da propaganda no horário eleitoral. “Os cinco segundos destinados aos candidatos dos pequenos partidos dificulta para que consigamos expor nossas propostas”, acentuou. Por conta disso, agradeceu ao fato de ser chamado para falar na OAB SP: “Uma casa democrática”.

Também falou da Lei Ficha Limpa. Em sua visão, alguns pontos da legislação, principalmente quanto à restrição de espaço para o candidato em banners, muros e cartazes, dificultam a eleição do candidato menos conhecido. Se posicionou contra restringir o número de partidos e acrescentou que, quanto maior a interferência do Poder Judiciário no processo político, mais antidemocrática se torna a eleição. “A interferência retira da população o poder de influir no processo”, afirma. Por fim, diz acreditar que as propostas de reformas trabalhistas e previdenciária serão prejudiciais à população. Efetivamente, não apresentou nenhum planejamento de gestão para a cidade de São Paulo.