Banco do Brasil atende solicitações da OAB SP em prol da advocacia


04/11/2016

O diálogo da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção São Paulo com o Banco do Brasil resultou em mudanças positivas para o dia a dia da advocacia. Uma das conquistas é a fixação do prazo de até quatro dias úteis para o levantamento de alvarás.

“Olhando adiante, no primeiro semestre de 2017, será levado para a justiça estadual, em período de testes, o sistema de guias virtuais o que vai reduzir ainda mais o tempo para o crédito dos valores”, conta Fábio Romeu Canton Filho, vice-presidente da OAB SP. Além dele, o diretor tesoureiro, Ricardo Toledo Santos Filho, participou de reunião com dirigentes da instituição bancária, realizada no dia 25 de outubro. O Banco foi representado por Luiz Claudio Batista, superintendente Estadual; Marcelo Vicente de Alkmim Pimenta, gerente Jurídico Regional; Washington Negreziolo Teixeira, gerente de Relacionamento; Wagner Seraphim Leitão, gerente geral de Agência.

Ainda sobre o levantamento de alvarás, as agências do BB foram orientadas a aceitarem a operação em conta corrente de pessoa jurídica do escritório de advocacia. A partir de agora, as agências também estão orientadas a não exigir a abertura de conta corrente na instituição para o levantamento, o que pode ser feito diretamente no caixa. O procedimento do Banco do Brasil na entrada de guia de levantamento também mudou e a instituição vai passar a entregar comprovante impresso, no ato do protocolo.

Outra questão que causava dificuldades foi superada com a inclusão do novo Código de Arrecadação de número 441-3, ou seja, agora o sistema do Banco do Brasil passou a processar o código de arrecadação para certidões Cíveis emitidas pela internet. Por fim, o advogado não precisa mais levar cópia da carteira para dar entrada em alvará, o próprio banco vai tirar a cópia do documento.

Segurança no uso dos meios eletrônicos para operações bancárias
Dado o uso crescente do internet banking e dos aplicativos bancários em smartphones, o Banco do Brasil faz uma série de recomendações para que o risco de fraude seja diminuído.

Entre procedimentos que demandam pouco esforço, mas que ampliam a necessária proteção para as transações bancárias, a instituição aconselha que senhas nunca sejam compartilhadas, enviadas por mensagens de SMS, WhatsApp ou e-mail. Nesse caso, o Banco disponibiliza a ferramenta BBCode, que gera senhas para cada operação realizada.

No dia a dia, recomenda-se ainda cuidado ao receber ligações com pessoa dizendo ser da central de atendimento do banco. Nesse tipo de caso, nunca informe sua senha e entre em contato com a instituição bancária, por meio do serviço de atendimento, para confirmar a procedência do contato.

Mais informações sobre segurança nos meios eletrônicos de operações bancárias você encontra clicando aqui.