Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 12 / Luiz Gama ganha nome em sala na USP por sua luta pela libertação de escravos

Notícias

Luiz Gama ganha nome em sala na USP por sua luta pela libertação de escravos

Tweet


05/12/2017

Luiz Gama ganha nome em sala na USP por sua luta pela libertação de escravos
Marcos da Costa, presidente da OAB SP, cumprimenta José Rogério Cruz e Tucci, diretor da Faculdade do Largo de São Francisco, na inauguração da Sala Luiz Gama

O rábula Luiz Gama, reconhecido advogado pela OAB por sua luta pelos direitos libertários dos escravos, foi homenageado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (01/12), com a nominação de sala no prédio histórico da instituição. O evento foi organizado pelo Centro Acadêmico XI de Agosto e pela Associação dos Antigos Alunos da USP e contou com a participação da Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil. 

Compondo a mesa da cerimônia, o presidente da OAB SP, Marcos da Costa, frisou a oportunidade de dedicar a homenagem a quem destinou sua vida pelo bem da causa pública. “Uma causa que traz muitas tristezas para nós, não só pelo que passaram os negros, mas especialmente por saber que o Brasil foi o último dos países a pôr fim a este período triste da história”, ponderou. Costa admitiu que a própria OAB traz a marca por não ter reconhecido anteriormente Gama como advogado, fato que ocorreu somente em 2015, quando lhe foi conferido o título póstumo. 

O anfitrião José Rogério Cruz e Tucci, diretor da Faculdade do Largo de São Francisco, ressaltou o papel do homenageado na defesa dos direitos da personalidade, salvando muitos escravos dos grilhões da escravidão. “A Faculdade de Direito, pela primeira vez, atribui o nome de uma sala a quem jamais foi professor”, destacou, ao relatar que, vivendo durante o século XIX, o abolicionista conquistou a própria liberdade e passou a operar na advocacia em prol dos cativos. “Era um apaixonado pelas ciências jurídicas e dono de oratória excepcional que o tornou fonte de grande inspiração”, acrescentou a professora Lígia Fonseca Ferreira, autora do livro “Com a palavra, Luiz Gama”, lembrando que em 2018 serão comemorados 130 anos da abolição. 

Luiz Gonzaga Pinto da Gama nasceu em Salvador (BA), em 21 de junho de 1830, e morreu em 24 de agosto de 1882. Em São Paulo, frequentou a Faculdade das Arcadas graças ao apoio de colegas, mas não chegou a colar grau. Mesmo assim, passou a atuar como advogado e obteve a libertação de mais de 500 escravos. 

Entre os presentes estiveram a secretária-geral adjunta da OAB SP, Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos;  José Carlos Madia, presidente da Associação dos Antigos Alunos da Faculdade, que organizou a honraria, aprovada pela Congregação da Faculdade; e os ex-ministros José Gregori, Almino Afonso e Flávio Flores da Cunha Bierrenbach. Também compareceram os professores Eunice Prudente e Gilberto Bercovici, além do reitor Faculdade Zumbi dos Palmares, José Vicente, entre outras autoridades.

Veja mais imagens na Galeria de Fotos