Debate sobre igualdade de gênero marca evento do Dia da Mulher na Subseção de Santos

Tweet


16/03/2018

Debate sobre igualdade de gênero marca evento do Dia da Mulher na Subseção de Santos
A partir da esquerda: Marilia Gallotti Bonavides, secretária-geral da Subseção de Santos; Rodrigo de Souza de Figueiredo Lyra, diretor da CAASP; Mauricio Guimarães Cury, conselheiro; Luiz Fernando Afonso Rodrigues, presidente da Subseção de Santos; Marcos da Costa, presidente da OAB SP; Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, secretária-geral adjunta da OAB SP; Kátia Boulos, presidente da Comissão da Mulher Advogada; e Sonia Catarino, conselheira.

Com mais escolaridade, em média, que os homens, as mulheres possuem remuneração até 24% menor do que a deles. Apesar de corresponderem a 53% do eleitorado do país, a sua representação no Congresso Nacional é de 10%. E a cada 7,2 segundos, uma mulher sofre violência física no Brasil. Estes dados foram apresentados pelo presidente da Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcos da Costa, durante a abertura do evento “Igualdade: Essa é a Ordem” realizado na Subseção de Santos, no Dia Internacional da Mulher (8/03).

O dirigente da Ordem paulista destacou os números durante a abertura do evento para a reflexão sobre a importância das manifestações nesta data. “Algumas postagens em redes sociais criticaram até mesmo a existência desse dia, que seria desnecessário, mas registrei esses números que retratam a situação que vivenciamos no Brasil em relação à condição feminina”, acentuou.

Outras estatísticas foram apontadas pelo presidente da OAB SP, como o aumento de 22% nos casos de homicídio de mulheres negras e a representatividade feminina na esfera legislativa brasileira, que, na América, só é maior que a participação política no Haiti. "Cada conquista precisa ser comemorada, como a aprovação da Lei Maria da Penha e mais recentemente, da lei feminícidio, no fundo precisamos reconhecer que o caminho ainda é bem longo em direção à igualdade do social, profissional e política entre mulheres e homens"

Secretária-geral adjunta da OAB SP, Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos observou que dos 407 mil advogados inscritos na entidade, o número de mulheres neste universo é praticamente o mesmo comparado aos homens. “Temos quase 50% de homens e 50% de mulheres nos quadros da entidade, o que é motivo de satisfação. Temos conquistas a comemorar, mas muito caminho a percorrer para que todas as mulheres do país realmente tenham igualdade”.

Presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, Kátia Boulos ponderou que a data é necessária para a reflexão sobre a conquista dos direitos da mulher, e os avanços que ainda precisam acontecer para a igualdade de gênero. “O trabalho da Comissão conta com a integração de 23 coordenadorias regionais, que abrangem as 234 Subseções da OAB SP, e atuamos com matérias delicadas como a violência de gênero e a violência doméstica”, disse.

O presidente da Subseção de Santos, Luiz Fernando Afonso Rodrigues relembrou o Estatuto da Mulher criado em 1962, para que as mulheres tivessem direito de igualdade dentro do matrimônio. “A mulher quando se casava tornava-se cacto diminut do homem, isto é, ela não tinha mais a personalidade jurídica plena, e as mulheres tiveram que lutar para garantir seus direitos. Tivemos avanços, mas ainda é necessário o direito a igualdade em todos os campos, e por isso é uma grande honra este evento”.

Compuseram a mesa de abertura do evento: o secretário-geral da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (CAASP), Rodrigo Ferreira de Souza de Figueiredo Lyra, a secretária-geral da Subseção de Santos, Marília Gallotti Bonavides de Souza, os conselheiros Maurício Guimarães Cury, Andréia Regina Gomes, Lucimar Vieira de Favo Melo e Sonia Maria Pinto Catarino.

Desagravo ao Feminismo
Após a abertura da programação, foi realizada a palestra “Desagravo ao Feminismo” proferida pela advogada Alice Bianchini, membro consultora da Comissão Nacional da Mulher Advogada e doutora em direito penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Com a palestra, a mesa de debates destacou o tema “Mulher na Mídia Social” e contou com a participação dos seguintes debatedores: Kátia Boulos, Gisele Fleury, o diretor comercial do grupo A Tribuna, Demétrio Amono, a diretora do jornal A Tribuna, Arminda Augusto, o presidente da Agência Êxodo, Valdir Lanza e a presidente da Comissão da Mulher Advogada da Subseção de Santos, Isabela de Castro.

Veja mais imagens na Galeria de Fotos