Música e alegria marcam entrega do VII Prêmio Benedicto Galvão – 2018

Tweet


12/12/2018

Música e alegria marcam entrega do VII Prêmio Benedicto Galvão – 2018

A abertura da solenidade para a outorga o VII Prêmio Benedicto Galvão (06/12), com o Hino Nacional entoado e tocado pelo violonista Robson Miguel, deu o tom para uma noite com alegria e celebração das ações positivas em busca da promoção da igualdade racial e do fim da discriminação. Os 11 premiados têm em comum uma trajetória de luta por esses valores e, adicionalmente, de contribuição para a autoafirmação da população afrodescendente.

“Na OAB SP eu encontrei a oportunidade e o espaço para debater as formas de discriminação e como combate-las. O Prêmio Benedicto Galvão é uma oportunidade de marcar posição, mostrando o valor da sociedade negra, evidenciando que podemos mais desde que a igualdade de oportunidades seja mais frequente”, destacou Carmen Dora de Freitas Ferreira, presidente da Comissão de Igualdade Racial.

Ao falar em nome dos homenageados, a procuradora Valdirene Silva de Assis enfatizou como receber o prêmio é importante porque, no Brasil, ainda não há muitas referências negras em espaços de poder. “A representatividade é muito importante para os jovens que estão se formando ou ainda estão escolhendo qual carreira profissional seguir. A falta da representativa faz a busca de jovens negras e negros por uma carreira acadêmica parecer uma ousadia: há uma dificuldade na autoafirmação e formação de identidade que comprometem até o pleno exercício da cidadania”, avaliou.

Na mesma linha, apontando a necessidade de reconhecer importantes cidadãos negros, Marcos da Costa, presidente da OAB SP, falou do processo de reconhecimento de Luiz Gama como advogado, um marco da Ordem dos Advogados do Brasil para reconhecer um dos heróis negros da história nacional. “Ele superou todas as dificuldades da vida, frequentou ‘pela janela’ o curso de Direito, e libertou, por meio de processo judicial, como rábula, cerca de 700 escravos. Esses feitos foram reconhecidos pela Ordem e pela Faculdade de Direito da USP, que deu o nome dele à uma das salas de aula do Largo São Francisco”.

Os premiados no VII Prêmio Benedicto Galvão são: Valdirene Silva de Assis, procuradora do Trabalho; reverendo Sérgio Melo, presidente do Instituto AZUSA; Theo Van Der Loo, ex-presidente da Schering do Brasil e ex-presidente da Bayer do Brasil; Anderson Luis Cesar de Moraes Rosa, criador da Rádio Web Resistência; Silvio Luiz de Almeida, docente permanente em pós-graduação na Universidade Mackenzie; Cláudia Pereira de Souza, assistente social na União Popular de Mulheres do Campo; Cel PM Helena dos Santos Reis, secretária chefe da Casa Militar do Estado de São Paulo; Robson Miguel, único brasileiro a atingir o topo do ranking mundial de violonistas; Maria Clementina de Sousa, delegada de polícia civil; Rogério de Oliveira Castro, in memoriam, médico, representado por seu irmão, Roberto de Oliveira Castro ; e a Instituição Aristocrata Clube.

A mesa de honra para a solenidade de outorga do VII Prêmio Benedicto Galvão também foi composta por Rilma Aparecida Hemetério, presidente do Tribunal Regional do Trabalho – 2ª Região; Mylene Ramos Seidl, juíza diretora do Fórum Trabalhista da Zona Sul; Cel PM Helena dos Santos Reis, secretária chefe da Casa Militar do Estado de São Paulo; Lucila Helena, representante do Movimento da Mulher Negra Brasileira; Maria Aparecida Pinto, presidente do MDB Afro SP; Elisa Lucas Rodrigues, secretária adjunta da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo; Clarice D´Urso, coordenadora da Coordenadoria de Ação Social da OAB SP; Ezequias Alves da Silva, coordenador da Comissão de Igualdade Racial da Subseção de Santo Amaro; Marco Aurélio Mendes, membro da Comissão de Igualdade Racial da OAB SP.

Veja mais na Galeria de Fotos