Comissões de Arbitragem e Tributária da OAB SP contestam cobrança de ISS das sociedades de advogados

Tweet


23/08/2019

As Comissões de Arbitragem e de Direito Tributário da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção de São Paulo, emitiram nota técnica conjunta posicionando-se contra a descaracterização das sociedades de advogados como sociedade uniprofissional nos casos de atuação de seus integrantes como árbitros.

De acordo com os presidentes das Comissões, Ruy Janoni Dourado e Tathiane dos Santos Piscitelli, objetivo da nota é sensibilizar as autoridades municipais quanto ao equívoco dessa postura, cujos impactos tributários são evidentes. “O árbitro não é uma profissão”, destaca o texto. “Trata-se, como muitas outras, de uma das funções possíveis de serem executadas no exercício da advocacia”, acrescenta.

Ruy Dourado enfatiza que, nesse contexto, o município enquadra os escritórios como sendo uma sociedade com outros fins. “Dessa forma, lança a cobrança de ISS e o escritório tem prazo de 15 dias para se defender administrativamente ou entrar com ações judiciais”, afirma. Segundo Tathiane Piscitelli, “a postura do fisco municipal distorce a interpretação das regras do ISS e, por essa razão, deve ser afastada”.

A intenção das Comissões, que encampam essa discussão, é unificar as ações para beneficiar toda a advocacia.

Leia – aqui – a nota técnica