OAB SP E BARREAU DE PARIS AMPLIAM PARCERIA E DEFENDEM FORTALECIMENTO DA ADVOCACIA
O presidente da Ordem dos Advogados de Paris , Jean Castelain, visitou a sede da OAB SP nesta quinta-feira (4/2), quando foi recebido pelo presidente da Seccional, Luiz Flávio Borges D’Urso, e demais diretores da entidades, reunindo-se também com os conselheiros secionais .Assinou o Termo de continuidade da Convenção de Cooperação entre a OAB SP e o Barreau de Paris e recebeu uma Láurea de Homenagem pelos relevantes serviços prestados à advocacia.
ARTIGO: CAASP, UMA HISTÓRIA DE 75 ANOS
Luiz Flávio Borges D'Urso
ADVOGADOS PAGAM MEIA ENTRADA PARA ASSISTIR PEÇA PREMIADA SOBRE TRIBUNAL DO JÚRI
Com temática jurídica, reestréia no dia 10 de fevereiro, na Sala Imprensa (rua Jaceguai, 400 – Bela Vista), a peça “Doze Homens e Uma Sentença”, adaptação para os palcos de uma peça feita para a TV e apresentada ao vivo em 1954 pela CBS . Graças a uma parceria firmada com o Departamento de Cultura e Eventos da OAB SP, os advogados regularmente inscritos terão desconto de 50% na entrada, assim como um acompanhante. " Por ser uma obra de arte aberta, a peça faz uma reflexão importante sobre o trabalho dos operadores do Direito. Certamente, enriquecerá os colegas que forem assistir o espetáculo", diz Umberto D'Urso, diretor cultural da OAB SP.
NOVAS PALESTRAS DA SEGUNDA SEMANA DE FEVEREIRO
De 7 a 13 de fevereiro , Departamento de Cultura e Eventos promove novas palestras todos os dias dasemana sobre Direito Criminal, de Familia, Trabalhista e Meio Ambiente. Para participar o interessado deve doar um kit escolar, contendo um caderno, duas borrachas, uma régua, duas canetas e dois lápis, material que será encaminhado para instituições sociais cadastradas na Ordem.
OAB SP INGRESSA COM MANDADO DE SEGURANÇA CONTRA DESDOBRAMENTOS DA PORTARIA 63
A OAB SP ingressou com um mandado de segurança contra Portaria da juíza da 1ª Vara Federal de São Paulo, pedindo que a Resolução 63 não seja aplicada. Editada em julho de 2009 pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a medida possibilita que o inquérito passe a tramitar diretamente entre a polícia e o Ministério Público, sem a necessidade de atuação do Poder Judiciário competente.