Exemplo de cidadania em Serra Negra

Tweet


28/12/2016

serra negra Comissão OAB Vai à Escola

O ensinamento de que boas ações podem influir no destino dos adolescentes foi dado pela Comissão OAB Vai à Escola da Subseção de Serra Negra. O grupo de trabalho, presidido pela advogada Raphaela Pereira de Lima, implantou o projeto da Secional paulista da Ordem na Escola Jovino Silveira, único colégio estadual da cidade. O objetivo do programa, promovido pela OAB SP, é levar aos estudantes conceitos de cidadania, além de aspectos sociais e outros conhecimentos. Em Serra Negra, a escolha do tema, feita na reunião entre a diretoria da escola e representantes da Ordem, foi pela realização de um júri simulado, para poder explicar aos alunos o funcionamento desse tipo de julgamento. Coube aos adolescentes selecionar o tema que gostariam de discutir. Optaram pelo aborto, questão que estava na pauta do Supremo Tribunal Federal.

Definido o papel de cada um – sete meninas no conselho de sentença, uma juíza, dois promotores e uma menina e um menino na defesa – foi marcado o dia para apresentação do caso. A questão era sobre uma adolescente que engravidou e não teve apoio dos familiares e tampouco do namorado. Decidiu, então, por fazer aborto. Mas o imponderável fez com que ela tivesse problemas, parando num hospital e tendo de confessar o crime cometido. No resultado do júri sobre o acontecido, uma surpresa: a ré foi condenada. “Imaginei que, pelo fato de serem todos adolescentes e, na maioria, meninas, fossem absolvê-la”, observou Raphaela.  De acordo com ela, algumas outras boas surpresas ficaram evidentes nessa experiência. A primeira foi o engajamento dos alunos, que criaram o caso, estudaram e montaram o cenário para resolver o problema. Havia várias dúvidas da diretoria da escola pelo fato de o colégio ter um grande número de adolescentes atendidos pela promotoria da infância. O que mais chamou atenção é que um dos participantes do júri simulado não demonstrava interesse algum em seguir nos estudos e sequer havia prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mas acabou mudando de ideia. “Após sua participação, ele me mandou mensagem informando que havia prestado vestibular na Faculdade de Bragança Paulista e arrumado emprego para arcar com os custos da educação. Isso foi emocionante.”

Agora, a presidente da Comissão espera a divulgação do calendário dessa e das outras três escolas da cidade de 27 mil habitantes – uma municipal e duas particulares – para projetar as novas ações. Mas já tem em andamento temas fechados, como uma palestra sobre os perigos de navegar na internet, que será proferida pelo presidente da Comissão de Direito Digital da Subseção. Ela conta que tem o apoio do Judiciário local e de advogados que já demonstram interesse em participar do projeto.

Logo Jornal Dezembro 2016