1ª medalha Carlos Roberto Fornes Mateucci de Ética Profissional é entregue a Ives Gandra em reunião do conselho

Tweet


05/09/2017

1ª medalha Carlos Roberto Fornes Mateucci de Ética Profissional é entregue a Ives Gandra em reunião do conselho
Ives Gandra da Silva Martins, jurista; recebe da diretoria da OAB a medalha Carlos Fornes Mateucci

Criada pelo conselho Secional, a 1ª medalha Carlos Roberto Fornes Mateucci foi entregue ao jurista Ives Gandra da Silva Martins nesta segunda-feira (28/08). A cerimônia contou com a presença de dirigentes do Conselho Federal, do jurista Arnoldo Wald Filho, de ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e de conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e ocorreu durante a reunião do conselho. A comenda foi criada em homenagem ao ex-presidente do Tribunal de Ética e Disciplina (TED) e ex-tesoureiro da Casa, falecido em abril de 2015 após acidente automotivo. “Mateucci foi um grande colaborador, importante personagem do mundo jurídico paulista e brasileiro, justificando assim a criação desta importante comenda, agora entregue a um dos maiores juristas da história do nosso país”, disse Fábio Romeu Canton Filho, vice-presidente da Secional.

Ives Gandra emocionou-se ao receber a medalha. “Me sensibiliza receber essa homenagem que leva o nome de um advogado excepcional, representante da ética e que pautou sua vida exclusivamente pela defesa dos princípios e dos valores próprios da advocacia”, diz. O jurista aproveitou o momento para reforçar a importância da conscientização do papel que os advogados têm nesse momento do país. “Conversava há pouco com os ministros que vieram prestigiar a solenidade, a respeito da importância de termos os nossos poderes exercendo as suas competências constitucionais”, argumentou. “A importância da democracia é incomensurável na administração da Justiça. Não há direito de defesa nas ditaduras”, concluiu.

Por fim, fechando a sequência de homenagens, foi a vez da entrega da medalha de 85 anos da OAB SP para os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Luis Felipe Salomão, Antonio Carlos Ferreira, Paulo Moura Ribeiro; para o conselheiro Henrique de Almeida Ávila, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); e para o jurista Arnoldo Wald. “Não se pode defender a Justiça sem defender a advocacia, nem defender a liberdade e a democracia sem que haja Justiça. Essa necessidade imperativa de vincular a Justiça à liberdade e à democracia está nas raízes da nossa OAB”, diz Wald Filho.

Na ocasião também foi lançado o selo da 23ª Conferência Nacional da Advocacia Brasileira, com as presenças dos dirigentes de Ordem do Conselho Federal, Marcus Vinícius Furtado Coelho, ex-presidente e membro nato; e Felipe Sarmento Cordeiro, secretário geral do Conselho Federal. O presidente da OAB SP, Marcos da Costa, disse que a instituição espera que cerca de dezenas de milhares advogados participem da Conferência, que reunirá, entre outras atividades, debates sobre temas relevantes da classe e para a sociedade civil.

Também compuseram a mesa a secretária-geral adjunta da OAB SP, Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos; o conselheiro federal por São Paulo, Luiz Flávio Borges D’Urso; Caio Augusto Silva dos Santos, secretário-geral da Secional; Braz Martins, presidente da CAASP; José Horácio Rezende Ribeiro, presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP); Luis Otávio Camargo Pinto, presidente do Sindicado das Sociedades de Advogados dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro (SINSA); Rodrigo Ferreira de Souza de Figueiredo Lyra, secretário-geral da CAASP e vice-presidente do Conselho Deliberativo da OABPrev-SP; Jorge Eluf Neto, diretor tesoureiro da CAASP. 

Veja mais imagens na Galeria de Fotos