Marcos da Costa recebe profissionais que solicitam registro de 'Sociedade de Advogadas e Advogados'

Tweet


24/07/2018

O presidente da OAB SP, Marcos da Costa, recebeu (23/07) a advogada Caroline Ferreira da Silva e os advogados Vladimir Sampaio Soares de Lima e Pedro Arthur Bianchini Lande dos Santos, que tiveram o pedido de registro de sociedade indeferido no início do mês pela Comissão Permanente das Sociedade de Advogados. A causa foi o uso da palavra ‘advogadas’ na razão social pretendida. Os três profissionais e a advogada Deborah Smith constituem um grupo de trabalho que atua em Ilhabela. Eles solicitaram o registro como ‘Smith, Bianchini Ferreira e Sampaio Sociedade de Advogadas e Advogados’ e resolveram recorrer do indeferimento.  O presidente da OAB SP informou que o recurso será apreciado pelas Câmaras Recursais.

“É importante ter a oportunidade de ouvi-los pessoalmente e entender o que pensam e como surgiu a ideia”, ponderou o dirigente da Ordem. “Sem dúvida vamos estudar a questão”.

“Não pensávamos que poderia haver algum entrave até porque, por leitura das normas, não havia confrontação clara a esse respeito”, disse Vladimir de Lima. Ainda segundo o advogado, contemplar as advogadas de forma explícita na sociedade é valorizá-las. “Achamos importante que os clientes da nossa sociedade saibam que mulheres e homens protagonizam o processo da advocacia”, argumentou.

“Para nós seria natural conseguir o registro tal como solicitado porque somos advogados e advogadas dividindo o mesmo espaço e buscando desenvolvimento profissional em conjunto”, disse Caroline Ferreira da Silva. O recurso dos quatro profissionais cita o Provimento Federal 112, de 2006. “Essa regra diz que é importante identificar da melhor forma possível os profissionais que fazem parte do quadro societário. E a inclusão da palavra advogadas faz essa inclusão perfeitamente”, finaliza Caroline.