E - 1.537


PATROCÍNIO DE EXECUTADO E TERCEIRO EMBARGANTE - LOCAÇÃO.

O patrocínio de executado e terceiro embargante não constitui em infração ética, desde que não ocorra conflito entre essas partes e desde que o advogado seja zeloso contra possível fraude de credores.
Proc. E - 1.537 – v.u. em 22/05/97 – Rel. Dr. GERALDO JOSÉ GUIMARÃES DA SILVA – Rev. Dra. MARIA CRISTINA ZUCCHI – Presidente Dr. ROBISON BARONI.


RELATÓRIO - 1. A Consulta versa sobre procuração de partes não conflitantes, o que é matéria pacífica e tranqüila, não havendo necessidade nem de se fazer a presente indagação.

PARECER - 2. No caso vertente, o patrocínio das clientes não demonstra existir qualquer conflito, porque um seria o executado e o outro o embargante, havendo confusão apenas em relação à penhora dos mesmos bens, que pertencem ao Embargante.

3. Assim, o patrocínio aqui referido não espelha qualquer infração ética.

É o parecer.